20 de abril de 2010

COVIL

A Fabrício de Queiroz Venâncio.


"O difícil é aguentar até que a morte chegue".

(Ruy Espinheira Filho)


O cheiro ficou no lençol.

Cabelos e pó pelo chão do quarto.


Vazios, os armários, as gavetas;

Paira uma saudade embrutecida

pelas tormentas matutinas.


Deverias me deixar ao anoitecer.

Ninguém se vai ao meio-dia.


Sombrios, os espelhos, as cortinas;

A poltrona ainda mira sua chegada

e a espera descansa em nosso lar.


A vodka ainda lembra você, não bebo.

O cinzeiro não me aguenta mais.


Manchados, os retratos, o carpete;

Escrevi poemas em seu nome

e me dediquei por cortesia.


Alívio tolo; consolo inútil.

Tudo passa; passarás.


(Max da Fonseca)

8 comentários:

Fabrício disse...

Espero que continuemos, por aí, esperando a morte.

Comovido aqui, cara; valeu! Não suma dessas páginas não.



abraço forte;
Fabrício

Thiers R > disse...

“Paira uma saudade embrutecida
pelas tormentas matutinas.”


De todas as dores permanece o insucesso do não dito


“Deverias me deixar ao anoitecer.
Ninguém se vai ao meio-dia.”
. . . . . . . .

“Alívio tolo; consolo inútil.
Tudo passa; passarás.”


Todas as tolices são belas porque estão fincadas no humanismo.

Lindíssimo seu poema cara, ele pinta o vermelho de azul, afinal tudo passa. Não sei se passa ou se guardamos em alguma parte de nossa memória. Tvz uma parte pco visitada.

Eloah Borda disse...

Oi, Max, reapareceste enfim! Eu também andei sumida (problemas pessoais), mas já estou retornando (devagar...) aos meus espaços vituais. Lindo teu poema, gostei muito, mesmo! Vê se não some de novo!
Té mais.
Bjs.
Eloah

Darlan Machado disse...

porra, eu tinha esquecido de como era a sensação de ler uma boa poesia, eu vi a data e vi que já tem um tempo por aqui mas...
bom velho, me senti nostálgico e muito bem por dentro.
abração.

I am I disse...

Faço das palavras de Darlan as minhas.
Sou eternamente apaixonada por suas palavras,Poeta ♥

Anônimo disse...

Que blog mais podre da porra!

Anônimo disse...

Cara... muitas saudades!!

Continua escrevendo primorosamente melhor do que eu... ORGULHO de ser seu amigo!!!

Lucas Matos

Nuriko disse...

Isso parece meio solitário. Mas despedidas são sempre tristes, sempre dolorosas.
E até saber que "tudo passa" é um pouco cruel. E machuca.


A Xícara está de pé!