31 de agosto de 2008

RELEMBRANÇAS

Um inverno habita em mim.
Todas as chuvas vindas com ele
Me lavam a cara;
Disfarçam minhas lágrimas;
Mentem minha dor.

-É tudo culpa do amor;
tudo culpa do amor!

Essa tristeza que sou,
Que me condena ser,
Escorre pelo meu peito trespassado.
Coração abandonado;
Sentimento baldio.

-Poeta vadio, merecedor;
merece a dor.

-É tudo culpa do amor;
tudo culpa do amor!


(Max da Fonseca)

8 comentários:

Búh. disse...

Esse é o meu brother prodígio!!!

Gostei desse, gostei muito... simples e marcante..

daria um bom samba... posso até ouvir na voz de adoniran barbosa... =D

bjao querido max!

Nessa Matos disse...

"Disfarçam minhas lágrimas;
Mentem minha dor."

Essa dor grita!

:/
Linda Max.

Bjo

Eloah Borda disse...

Bela poesia,Max!
Abraço.
Eloah

Baião disse...

"Qualquer amor já é um pouquinho de saude, um descanso na loucura."

Irmãozinho pensador...
Voltei N'ativa!

Abraço.

Daniel Abreu disse...

Pois é amigo Max, é tudo culpa do amor.

=/

Thiers R disse...

O Sentimento baldio

é coisa do Max... Max faz massagens no cérebro... ter amigos que pensam é um tudo!

Emanuele disse...

Como pode ser culpa do amor,
se o amor faz parte das mais belas lembranças?!
Essas relembrança imperdoáveis que nos contem, que corroí o sentimento puro, devem ser esquecidas...
Por que o inverno que só você vê, só você sente vai passar, e vai vir as borboletas, as flores desabrochando e o sol radiando...
Como um dia de primavera!

- Esse eu amei, com certeza o que mais gostei!
Garoto Poeta ;**

googler disse...

It seems different countries, different cultures, we really can decide things in the same understanding of the difference!
nike shoes


A Xícara está de pé!