2 de novembro de 2011

Novembro

Foto: Pensar na vida, por Joao Gonçalves.


Aos sábados, eu janto com meus irmãos.
À mesa, todas as nossas verdades.

As esposas conversam no sofá.
A televisão fala algum outro idioma.
As crianças brincam com o cachorro,
que prefere correr pro quarto.

Embarco em alguma história de poder.
Ao passo que me distraio.

O carro aguarda sob a chuva.
As poças acumulam-se na calçada.
O vento grita alto na janela,
que é fechada por meu pai incomodado.

Eu apenas observo. Pouco falo.
Mas até provo a sobremesa.

O retrato evidencia-se na estante.
Algum dos netos pergunta sobre a avó.
E o silêncio de todo o mundo
se pronunciana boca do patriarca.

Um felino desavisado aponta no jardim.
E o cão escarrera a questão das crianças.

O gato se salva, mas meu pai,
de janela fechada,
escuta este vento de saudade
que soprou em nossa casa.

(Max da Fonseca)

3 comentários:

Marcelo Fonseca disse...

Adorei!

Abraço.

Siégida Fonseca disse...

Adorei seus versos meu filho, como sempre Lindos!
Continue assim.

Um beijo no seu coração

Búh. disse...

Trocaria algumas palavras, mas curti muito o todo.


A Xícara está de pé!