19 de junho de 2008

INSANIDADES ENSURDECEDORAS

O silêncio suprimiu as palavras
esgotadas, as idéias somem
marejados, os amores se perdem
feridos... na mortalha da dor

Os desejos, antes inquisidores
hoje já não sabem falar
mudas, as certezas choram
tortura: teu olhar no meu olhar

Aplico a veio no mortal veneno
cuspo a língua em decorrência
o sangue a espirar, a dor a navalhar

Passado, foi o que restou
o olhar claro da lua se enevoou
ficou apenas o perfume
e este papel amassado, rasurado
fluindo o nosso perfume no ar

(Max da Fonseca e Thiers R>)

2 comentários:

Escultora de Delírios disse...

p-e-r-f-e-i-t-a!
isso é sincronia..
vc percebe como é possivel deslizar pela poesia?

linda de ler e reler..
=*

Thiers R> disse...

Ô meu qrido, não me esqueça jamais.
Bom Di+ rabiscar com vc.
provocando letras, queimando espaços.
Thiers


A Xícara está de pé!