23 de junho de 2008

PAR: Versos Reais


A bebida suave me envolve.
Levito e me transporto
A um porto qualquer que me aporte.

Hoje sou portas abertas,
Mar revolto a te engolir;
Loucura cadenciada no tempo;

Hoje sou cama desforrada
Cheirando a amor.

Sou brisa corrida, passada,
Provocando arrepios.

Todas as chuvas lavaram meu rosto;
Cara-limpa: amor-novo.

Pretensão de um sonhador qualquer.
Faço um ode ao que me ergue.

Sou rei ao seu trono;
Majestade amada nos palácios reais.

Sou a língua do teu beijo,
E a pele de tua carne,
E a carne do teu osso;

Ambos somos essenciais.
Um a um. Um ao outro.
Um par.

(Max da Fonseca)

5 comentários:

Thiers R> disse...

Sou a língua do teu beijo,
E a pele de tua carne,
E a carne do teu osso;.................................................................
Sensual, carnal, soberbo...rs

Escultora de Delírios disse...

Ambos somos essenciais.
Um a um. Um ao outro.
Um par.
---------
Me fisgou nessa!
=*

Lia disse...

A minha pela sua!

Me farto de palavras,
Me farto de leituras,
Estou mergulhada nas suas entrelinhas,
Enterrada nas suas letras,
Debruçada na janela das suas poesias.
Jogada a pensamentos e devaneios onde me mostram o caminho da inspiração!
Causada por vícios de poesias...
Ela vicia meus suspiros quentes que se perdem no ar vazio desse quarto...
E as poesias levitam o meu ser.
Elas permanecem nas minhas observações sensoriais.
E que esse vicio de arte que já me faz parte não me deixe jamais!
E que o vício de suas poesias se explodam dentro da minha alma...
Como a natureza de um vulcao ao entrar em erupção!
Será assim , pois hoje já se estendeu a bandeira do prazer de ler!
Os versos imersos em teu ser.
Te vejo aqui em forma de palavras que sussurram versos poéticos em meus ouvidos, aos quais só esboço no papel os gritos de sua alma.
Atiro-me agora aos seus pés
Pego em suas mãos e lhe peço.
Uma única coisa que ainda me aquece os sentidos...
Esse mundo cruel e frio...
Me forneça mais algumas doses desse veneno doce!
Ludibria minha´lma...
Beberei mais garrafas e doses das suas poesias...
O calor me engole!
Esquentou...
Quero mais uma borda...
Mais algumas xícaras com diversos goles de doçura em poesias.
Nossas... minhas... suas!
Fantasias e sinestesias em poesias!

(Dedicada com carinho à Max da Fonseca)

(Lia Megi)

ândria Halfen, disse...

Muiito, muiito bom Max ;)

De disse...

Ei Aquariano, belo blog.
Belas palavras!


A Xícara está de pé!