11 de fevereiro de 2009

SOBRE SOLDADOS E SORRISOS

"Que sorrisos sejam simplesmente sorrisos"
(Fabrício de Queiroz Venâncio)

No retrato, recordo o sorrir.
Um ato já tão banal pra mim
que simulá-lo pro espelho,
afim de me convencer algum prazer,
parece tortura, loucura, miragem.

A barba por fazer condiz ao ego
já tão sofrido e massacrado.
Desacredito que ser soldado,
dito condecorado patriota,
seja ser um cidadão tão bom assim...

Eu não nasci para matanças.
O olhar pueril de um civil inocente,
quase sempre, me martiriza:
O meu fuzil treme e, abalado,
não consigo ir ao disparo...

Tranqüiliza-me perceber o humano
que ainda me contém. -Não é o fim.
Penso, esperançosamente,
crente que o sorrir não será, pra sempre,
um impotente sonho ideológico.

Dizem que muito logo acabará,
essa guerra desprovida de um sentido,
que me convença da necessidade de um tiro.
Anseio a permissão para piadas inocentes;
anseio pelo regresso ao tempo do sorriso.

(Max da Fonseca)

9 comentários:

Fabrício disse...

Não nascemos para guerra.

Mas nascemos para a tristeza e com a habilidade inenarrável de sentir-se confortável frente à saudade de um sorriso.


Forte abraço,
Fabrício

Daniel Abreu disse...

Ess foi muito bom.

Búh. disse...

Cada dia melhor, heim bem?

Muitíssimo bom...

Não nascemos para a guerra... ela é que nasceu para comportar os seres humanos, suas discrepâncias de pensamentos, diversidade de idéias e, principalmente, a assimetria demasiada de sentimentos.

PALUMBO GUEDES disse...

Se os soldados lessem Poesia não haveria holocaustos...

Lucas Matos disse...

Toda guerra interna de um soldado, acaba quando vê em uma vítima, o sorriso, grato por ainda haver misericórdia.

Forte abraço!
Lucas Matos

Nana de SouZa disse...

Muito bom, bom mesmo.

Voltarei aqui =]

Rilanna disse...

Seus poemas causam forte impacto...Grandes emoções...perco as palavras e não consigo comentá-los rss...vc é de mais!sou sua fã!

.Carmim. disse...

Gostei muito!

Descobri seu blog pela postagem do "Na Borda da Xícara", que decobri por outro, que um outro que gosto muito me fez descobrir (adoro a internet! rs).

São dos escritores criativos, dos que sabem variar os assuntos de seus textos e poemas, que gosto mais. Bate na gente uma vontade de fazer igual :)

Vou voltar mais vezes.
Parabéns!

Alan disse...

Felizmente há os que pensam assim nas fileiras dos Exércitos. E por esse motivo não há mais tantos massacres como outrora.

Ante a isso há uma filosofia militar que tacha de covarde o que hesita a disparar num homem desarmado. E de herói o que destrói famílias civis sob a alcunha de "contra-terroristas".

É... sou milico, mas também tenho sentimentos. hehe...


A Xícara está de pé!